Matéria sobre Alex Dias na Antologia "29 de abril - o verso da violência"



Alex Dias tem poemas publicados na revista literária Contratiempo, em Chicago/USA

Lindeza!!! Tem poemas meus publicados, entre outros novíssimos poetas brasileiros, na edição de outubro da revista literária contratiempo - que é de publicação gratuita impressa e distribuída para os falantes do castelhano que residem em Chicago, nos Estados Unidos.
Meus poemas estão na página 27. A tradução para o castelhano desses poemas foi realizada por Xanath Caraza.
O texto de apresentação e a curadoria é de Adriana Zapparoli, que também tem um texto poético publicado na edição.
Os outros poetas brasileiros publicados são: Ricardo Pozzo, Límerson Morales, Carlos Silva, Carla Cabatti e Bianca Velloso.



Abaixo, os poemas em português:


giz em aguarrás
  
escava-se o solo pátrio,
mas a língua, ferida,
não cabe na cova,
nem cabe a vergonha
do povo que sangra
em trincheiras
de classes

escava-se o solo,
são fósseis frágeis
numa terra que perde
suas árvores
e amplia suas sombras

mas os ossos
 resistem
empunhando palavras

mesmo trincados,
mancos caminham
em frente
sustentando as vozes
de uma legião de famintos



***


ubuntu,
            meu coração desafia
                            não ser um.

juntos, compartir o fruto.
nem mesmo as mãos
são só duas, quando estendidas
ao futuro.

bem mais em mim que o dobro
em tudo, revoluz, vislumbro o todo
e pó, que sou, solto pelo mundo.

seguem as dunas
e não duram eternas ao vento.
à margem do mar, marejado olhar suspenso,
aconchega a ilusão de um mundo tão pequeno;
até correr, pés, utopia, o espaço incalculável
do universo, quando esquecemos o tempo:

cemitério indesvendável do nada 


Feliz Dia das Crianças!

|primeiro ensaio à criança que sempre volta

um amigo se veste de anjo,
roupas gastas dos ancestrais,
olhar doce que faz
nosso riso despojar
a dureza que pode ser a vida

um amigo revela-se
de tempos atrás,
no quando o encontro
era sem-nome
e o vento deixava
sua caligrafia nas pedras
e a voz das águas,
a cartilha de uma época
em que tudo era
um pouco do que faltava

um amigo se expressa
na delicadeza,
mesmo em brutais horas infernais
em que parece faltar

mas o princípio, do amigo,
é não ter fim
e se expandir
atravessando ausências
que ele próprio não sabe existir

um amigo se veste de nós
quando precisamos ouvir
nossa própria voz.

e sempre precisamos

de um amigo que se transvista de infância
para que a recobramos




|Alex Dias, 12 de outubro de 2014 

OSNÁUTICOS na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo


Estande Edições SESC
Localização: K500, Alameda K

23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
No Pavilhão de Exposições do Anhembi 
Avenida Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo/SP

Futebol e Haicai no Museu do Futebol

Divulgação

Evento:
 Futebol e Haicai
Dia 21 de junho - 20 horas
Onde: Estádio do Pacaembu, Museu do futebol - Auditório Armando Nogueira

Evento em homenagem à comunidade japonesa, que há mais de 100 anos trouxe esse gênero poético para as terras brasileiras. Com textos e haicais de Alex Dias, Alice Ruiz, Alvaro Posselt, Carlos Bueno, Carlos Seabra, Edson Cruz, Eugênia Tabosa, Frederico Barbosa, José Marins, Luiz Roberto Guedes, Ricardo Silvestrin, entre outros poetas.



MNEMOSYNE, com ALEX DIAS estará no SERCINE - Festival Sergipe de Audiovisual



Sercine – Festival Sergipe de Audiovisual divulga a lista dos curtas selecionados para as Mostras Competitivas Universitária e Nordeste. Foram cerca de 200 inscritos de diversos estados. Curtas que experimentam diferentes linguagens e que trazem para o Festival histórias dos quatro cantos do país.
Em 2014, o Sercine acontece de 19 a 25 de julho e conta com uma programação diversificada, que promete atrair amantes da sétima arte numa semana repleta de atividades.
Este ano teremos Oficina de Atuação com a consagrada atriz sergipana Diane Veloso; Oficina de Captação de Som Direto com Pauly Di Castro; Exposição de Artes Visuais com curadoria do artista plástico Fábio Sampaio; Mostras Competitivas de CurtasMostras de Longas Convidados; Mostra Infantil; Mostra de Acessibilidade e muito mais.

Parabéns para a equipe MNEMOSYNE!!! Alex Dias, Bia FerreiraSamara LopesYasmim Sales, Felipe HartungCesar AntunhaErica RodriguesSimone Ancelmo, Claudia London, Cauã Teixeira, Gabriella DrummondCássio Santos, Victor Hugo, Sony Clayton, Rodolfo Bellarosa, Ana Carol, Daniela Armentano Jeronimo, Tamiris Ribeiro, Altair AlvesSueli Gomes, Valdir, Danilo Pimentel.

Para quem quiser curtir um pouco do filme, eis abaixo o link de nosso Making Of


TOQUE-ME - SESC Belenzinho - Virada Cultural 2014 e mais...

divulgação

            SINÓPSE
Um orelhão toca de tempos em tempos até ser atendido. O ouvinte é surpreendido com a narração de poemas que parecem ter sido selecionados para ele e para aquele momento. A curadoria dos textos é feita pelo poeta Alex Dias, bem como a interpretação dos poemas, que conta ainda com leituras de Francesca Cricelli e Pedro Costa. A instalação será inaugura na Virada Cultural do SESC Belenzinho e ficará até o dia 22 de junho disponível ao público.            
Alex Dias - foto Danilo Pericoli

A CURADORIA
Em consonância com o artista multimídia Eduardo Salvino, que desenvolveu a instalação do projeto TOQUE-ME: um telefone público e um orelhão com uma base que guardará uma photoboard/arduíno, cuja pretensão é ser uma espécie de “oráculo e vidente” (SALVINO, 2014), levará ao público poemas que os integrantes do grupo OSNÁUTICOS gravarão em arquivos de áudios. Serão ao todo 24 gravações com poemas, divididas em dois grupos, sendo 12 arquivos com poemas que possam dialogar, subjetivamente, com cada mês do ano e outros 12 arquivos com outros poemas que de certa forma conversem com os poemas do grupo anterior, ao passo que ampliem as possibilidades de interpretações e interações com o público que atender ao chamado dessa “máquina poética”, que tocará de tempos em tempos; e que ficará instalada no jardim do SESC Belenzinho. Os poemas serão gravados nas vozes de Alex Dias, Francesca Cricelli e Pedro Costa.
O transeunte que atender ao telefone passará a interagir com a “máquina poética” que lhe fará duas perguntas: “qual seu mês de nascimento” e qual o seu “ano de nascimento”. Duas perguntas que instigarão os ouvintes das mensagens a se sentirem integrados a esse universo fantástico, bem como, poderão possibilitar a criação de um vínculo mais direto entre os poemas com as possíveis datas de nascimentos dos participantes dessa interação.

OS POETAS
Dentro deste universo simbólico que representam os meses e consequentemente a passagem das décadas, ou seja a passagem do tempo e tudo aquilo que se transforma ao longo do mesmo; Alex Dias selecionou poemas de 6 (seis) poetas com produções bem distintas e idades variadas. Poetas de vários cantos do Brasil, sobretudo, em sua maioria, poetas que começam a se destacar no cenário da poesia brasileira e internacional. São eles, o poeta, dramaturgo, ator e produtor Alex Dias (1982), fundador e diretor do grupo OSNÁUTICOS, que mantém uma atividade contínua de pesquisa sobre poesia, literatura, música, artes visuais, teatro e cinema. Nascido em Campinas – SP, mas que vive atualmente em Ribeirão Preto – SP, curador deste projeto; a poeta, tradutora e professora Francesca Cricelli (1982), também fundadora do grupo OSNÁUTICOS, filha de duas pátrias, Brasil e Itália, que atualmente vive em São Paulo, mas que passou quinze anos de sua vida entre a Itália, a Malásia, a Espanha, a Índia e o México; o poeta Gildes Bezerra (1937), nascido em Campina Grande, Paraíba, mas que desde os seus quatro anos de idade vive no estado de Minas Gerais, na cidade de Itajubá, cujo hino da cidade é de sua autoria; a poeta, pesquisadora e docente da USP de Ribeirão Preto Lucília Maria Sousa Romão (1966), que nasceu e vive em Ribeirão Preto – SP; a poeta, escritora e atriz Raiça Bomfim (1986), nascida em Vitória da Conquista – BA, que atualmente vive na cidade de São Paulo e; o poeta, dramaturgo e ficcionista Rudinei Borges (1983), nascido em Itaituba, no Pará e que também vive em São Paulo.


MINI BIOGRAFIA DOS POETAS

Alex Dias
É poeta, ator, dramaturgo e produtor. Formou-se pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto. É fundador de OSNÁUTICOS, grupo que dirige e em que atua, em projetos voltados à Arte, à Cultura e à Educação - que envolvam poesia, literatura, música e artes cênicas. Também fundou e coordena o POÉTICAS - Laboratório de Pesquisa e Criação Literária e Poética. Além de ser o curador do projeto “Toque-me”, a convite do SESC Belenzinho, também foi curador dos projetos “Noite de Poesia Italiana”, “Noite de Poesia Russa” e “Noite de Poesia Japonesa”, além da “Noite de Poesia Alemã”, que acontecerá em junho deste ano; eventos que integram a programação do projeto “Poesia dos Quatro Cantos” do CCSP – Centro Cultural São Paulo. Mantém os sites www.osnauticos.com e www.alexwdias.com

Francesca Cricelli
É poeta, tradutora e professora. Filha de duas pátrias, Itália e Brasil, cresceu na Ásia. O que carrega em si de mais puro, deve a este continente. É formada pela Università degli Studi di Firenze e mestre pela USP. Traduziu diversos poetas italianos contemporâneos como Davide Rondoni, Milo De Angelis, Mariangela Gualtieri e Antonio Riccardi para citar alguns. Curou a exposição e os encontros literários "De uma estrela a outra" sobre poesia italiana para a Casa das Rosas em 2012. Fundou o projeto OSNÁUTICOS com Alex Dias. Hoje organiza as cartas de amor de Giuseppe Ungaretti para Bruna Bianco e colabora com o Hussardos Clube literário junto a Vanderley Mendonça.

Gildes Bezerra
Nascido em Campina Grande, Paraíba, no dia 23 de agosto de 1937, mudou-se para Minas Gerais com quatro anos de idade, com os seus pais. Mora em Itajubá, MG. Formou-se no Curso de Letras pela Faculdade de Filosofia da Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá, MG.  Tem dois livros publicados “CANTAÇÕES” e “RECANTARES” e por publicar: “Versos Diários”, “Poema-me”, “Palavras de Pedras e Águas” e “Menin”. É autor do Hino Oficial de Itajubá – MG.  Autor da letra da “Missa Cristo Lavrador”, gravada pelos,. então Paulinos, hoje Paulus.

Lucília Maria Sousa Romão
Autora, dentre outros, do livro “Dedos de prosa em poesia”, possui graduação em Letras (1988) pelo Centro Universitário Barão de Mauá de Ribeirão Preto e doutorado direto (2002) em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Desde janeiro de 2003, é docente da Universidade de São Paulo, onde dá aulas, orienta alunos de graduação, mestrado e doutorado e supervisiona pós-doutorado. Especialista em Análise do Discurso, atua principalmente na investigação de materialidades discursivas ligadas aos seguintes temas: mídia, questão agrária, textualidade digital e leitura. Coordena o Grupo de Pesquisa Discurso e memória: movimentos do sujeito, cadastrado junto ao Diretório de Grupos do CNPQ.

Raiça Bomfim
Nasceu em Vitória da Conquista/BA em 1986. É atriz e escritora. Passou pela Faculdade de Comunicação da UFBA e graduou-se em Interpretação Teatral na mesma universidade. Começou publicando seus poemas no blog “Mainha me deu lápis”, que permanece no ar há 7 anos. Em 2011, publicou seu primeiro livro de poemas, o “10Pontes”, e no ano seguinte “O que é uma casa?”, mesclando prosa e poesia numa escrita que traça variadas metáforas sobre a casa. Em 2013, lançou seu terceiro livro, “12Lâminas”, desta vez experimentando a linguagem dos contos gráficos.

Rudinei Borges

Poeta, dramaturgo e ficcionista. Nasceu em Itaituba, no Pará. Autor dos livros “Chão de terra batida” (poesia) e “Dentro é lugar longe” (dramaturgia). Diretor do Núcleo Macabéa, grupo de teatro com pesquisa em poesia, dramaturgia e história oral de vida. Publica poemas no blog A Rua Sétima. Na poesia de Rudinei Borges, epifanias que eclodem de lembranças, as mais antigas, desvelam composições poéticas advindas de narrativas de vida: autobiográficas ou não. É o que ocorre desde o lançamento de seu primeiro livro, que despertou o interesse de críticos como Affonso Romano de Sant’Anna.

Alex Dias na 14ª Feira do Livro de Ribeirão Preto

Para maiores informações, clique aqui!!!

OSNÁUTICOS no SESC Santos dia 16 de abril, às 20h

Foto: Danilo Perícoli

OSNÁUTICOS apresentam: "O HOMEM E O HOMEM" - um dos espetáculos da TRILOGIA RAÍZES, que conta ainda com os espetáculos "O HOMEM E A TERRA" e "O HOMEM E O MAR".
                                          
O HOMEM E O HOMEM - da TRILOGIA RAÍZES
É um espetáculo que celebra as transformações socioculturais causadas pelo homem e as transformações que um indivíduo sofre ao longo de sua vida, em sua jornada na descoberta de si mesmo e no encontro com "o outro".

O que nos faz mergulhar em nós mesmos? O que nos leva ao encontro com o próximo? Como bem perguntou, Carlos Drummond de Andrade, em seu poema, "Especulações em torno da palavra homem": Mas que coisa é homem?

Neste espetáculo, OSNÁUTICOS passearão por poemas e canções que toquem no cerne dessa questão, tentando, senão respondê-la, alimentar nossos sentimentos para um mergulho no mar de nossas ações!

Apresentação no dia 16 de abril, na Comedoria do SESC Santos, às 20h
Entrada franca - com retirada de ingressos antecipadamente nas unidades do SESC-SP

RECITAL CAIXA PRETA no CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

Foto de Camila Stella
No dia 25 de março, a partir das 20h30, acontecerá o Recital da Caixa Preta, na Sala Adoniran Barbosa do Centro Cultural São Paulo; do qual participarei lendo alguns de meus poemas.

Na ocasião, haverá o lançamento de uma edição impressa da Zunái, comemorativa dos dez anos de existência da revista, além de leituras poéticas com a participação, dentre outros, de Claudio Willer, Horácio Costa, Abreu Paxe, Dirceu Villa, Elson Fróes, Antonio Vicente Seraphim Pietroforte, Roberta Ferraz, Alex Dias, Edson Bueno de Camargo, Claudio Daniel, Rubens Jardim e Marcelo Ariel. Aguardo vocês lá!

NOSSO DIA

lâmina
            vencida
                          por um
                                     leve véu



                                                                                                  Alex Dias

DIA DA POESIA - "O FÓSFORO QUE ACENDE DENTRO D'ÁGUA"

E no Dia da Poesia, 14 de março, saiu um artigo meu sobre a própria no Jornal Folha da Região de Araçatuba, no Caderno 2

Agradeço a Talita N. Rustichelli, cantora e jornalista, e a redação do jornal, pelo convite à escrever tais pobres palavras e largamente insuficientes sobre o tema. 

OBS - por conta de diagramação e espaço, foi alterado pela redação do Jornal o título de meu texto, sendo que o original, para registro, é "O FÓSFORO QUE ACENDE DENTRO D'ÁGUA", extraído de um poema de Haroldo de Campos.

Eis, abaixo, o artigo na íntegra! Boa leitura!